Fechar
Notícias > Caminhões

Bem-vindo à tecnologia elétrica da VW Caminhões e Ônibus

  • Sistemas inteligentes atuam em milésimos de segundos
  • Motor entrega torque máximo em qualquer rotação
  • Suspensão gerenciada eletronicamente, e muito mais

Do que é feito um caminhão elétrico? Certamente muita tecnologia embarcada. Na direção, o intuito da Volkswagen Caminhões e Ônibus é propiciar uma experiência muito próxima da versão diesel da família Delivery, consagrada como uma das preferidas do mercado. No entanto, no funcionamento, os componentes atuam de forma bastante diferente.

São vários os sistemas inteligentes por trás da operação que trocam informações entre si quase instantaneamente. A atividade desses componentes começa assim que o motorista liga o veículo e o comando chega à central de controle, que interpreta a mensagem de que é preciso ativar a bateria de alta tensão para o e-Delivery começar a rodar.

Esses dados são compartilhados com o sistema de gerenciamento da bateria, que funciona como um guardião e controla seu ritmo de operação. Daí a energia segue para a central de distribuição, que a compartilha com todos os demais componentes de alta tensão, como o inversor de tração do motor elétrico, que é responsável pelo comando de potência e torque do veículo.

Quando o motor entra em ação, a força dele no e-Delivery vai diretamente para o cardã, que distribui para o eixo trativo do caminhão, sem uso de transmissão. A partir desse momento, é como em qualquer caminhão: as rodas do e-Delivery começam a girar e o veículo elétrico inicia sua operação. Parece um longo caminho, mas tudo acontece de forma imediata e com muita inteligência para a máxima eficiência.

 

Engenharia patenteada

Todo o projeto do e-Delivery foi construído ao redor das baterias, em módulos, numa verdadeira arquitetura flexível. Esse design concebido pela engenharia da marca no Brasil é único e patenteado, com um melhor aproveitamento do chassi para comportar a tecnologia elétrica de forma inovadora.

É um novo conceito para caminhão elétrico. Nesta configuração em módulos, a parte frontal acondiciona cabine e auxiliares. Entre os eixos, ficam as baterias, trabalhando essa distância para maximizar a área de estoque da energia. Por fim, está o trem de força: trata-se de um caminhão com motor elétrico de tração posicionado na traseira do veículo, uma novidade no mercado. Toda essa arquitetura supera o desafio de disponibilizar uma capacidade energética sob medida à aplicação dos clientes, com robustez e confiabilidade.

Imagens relacionadas